fbpx
Print Friendly, PDF & Email

Em qualquer projeto de instalação elétrica, seja em ambientes residenciais, comerciais ou industriais, a segurança é de suma importância. Entre os vários elementos que fornecem para um sistema elétrico seguro, os conduítes elétricos frequentemente não recebem a atenção que merecem.

Estes protetores não são apenas acessórios, mas são componentes essenciais que resguardam os cabos elétricos contra danos, interferências e outros riscos. Além de fornecerem um nível adicional de segurança, eles também são regidos por normas específicas que garantem sua eficácia e confiabilidade.

Neste post, vamos nos aprofundar nos detalhes dos conduítes elétricos, abordando desde os diferentes tipos e materiais até as melhores práticas para instalação e manutenção.

Vamos também discutir como escolher o tamanho adequado e como preparar e instalar os tubos da forma mais segura possível. Acompanhe-nos nessa jornada informativa e descubra tudo o que você precisa saber para fazer uma instalação elétrica mais segura e eficiente.

Conduítes elétricos são como tubos de proteção para fios e cabos. Existem tubos finos de alumínio, chamados conduítes de metal, e também tubos flexíveis com uma trança de metal por fora. O objetivo é proteger os fios de danos e interferências. Um tipo comum é feito de metal para evitar interferência de rádio.

Os conduítes flexíveis aprovados têm padrões específicos, como o MIL-C-6136 para alumínio e o MIL-C-7931 para bronze. O de alumínio vem em dois tipos: o tipo I é sem cobertura e o tipo II tem uma camada de borracha. O tamanho do conduíte deve permitir que os fios passem facilmente.

Para isso, o diâmetro interno deve ser 25% maior que o maior diâmetro dos fios. Para encontrar o diâmetro interno certo, subtrai-se duas vezes a espessura da parede do diâmetro externo. Geralmente, os conduítes são identificados pelo tamanho do diâmetro externo.

A parte interna do tubo onde passa o fio deve estar limpa e sem pedaços salientes, partes pontiagudas ou bloqueios. Ao cortar e preparar o tubo, é importante suavizar as bordas e os buracos para criar uma superfície plana, que não prejudicará o cabo.

Depois de instalar as peças finais no tubo, é necessário examinar cuidadosamente para garantir que o interior esteja sem obstáculos e limpo. Caso uma das extremidades do tubo não tenha uma peça instalada, é recomendado queimá-la para evitar o desgaste do isolamento do cabo devido à borda áspera do tubo.

A instalação do tubo deve ser feita de forma a protegê-lo contra diversos tipos de danos. O tubo deve ser firmemente fixado à estrutura usando grampos de metal para evitar movimentos ou vibrações. Um contato direto de metal com metal é importante para uma conexão sólida, o que ajuda na proteção.

Certifique-se de que o tubo instalado não esteja submetido a tensões excessivas e que ele não esteja em locais onde possa ser pisoteado ou usado como suporte por membros da equipe. Além disso, é necessário providenciar drenos na parte mais baixa do tubo para evitar acúmulo de líquidos.

O tubo rígido por onde passam os cabos elétricos pode apresentar problemas se estiver cortado ou com furos grandes. Nesses casos, é importante substituí-lo para evitar danos aos cabos. Quando há curvas no tubo, elas não devem estar amassadas ou muito apertadas.

O diâmetro menor da curva não deve ser menor do que 75% do diâmetro total do tubo. Para saber o quão curvas podem ser feitas, consulte a Tabela (Raio mínimo de curvatura para conduíte rígido), que indica os raios mínimos aceitáveis para curvaturas em tubos rígidos.

No caso do tubo flexível, ele não pode ser dobrado tão abruptamente quanto o tubo rígido. Você pode ver informações sobre isso na Tabela (Raio mínimo de curvatura para conduíte flexível), que mostra os raios mínimos de curvatura para tubos flexíveis de alumínio ou latão. Quando você precisa substituir seções do tubo flexível e precisa cortá-las, um truque útil é envolver a área de corte com fita adesiva transparente.

Isso ajuda a reduzir o desgaste na extremidade dos cabos, já que a fita mantém os fios no lugar enquanto você corta com um serrote. Antes de colocar fios ou um conjunto de cabos dentro do tubo, é aconselhável polvilhar uma boa quantidade de talco no conjunto. Isso facilita o deslizamento e evita atritos indesejados.

Raio mínimo de curvatura para conduíte rígido
Raio mínimo de curvatura para conduíte flexível

Em resumo, os conduítes elétricos desempenham um papel vital na garantia de que os sistemas elétricos funcionam de maneira segura e eficaz.

Eles protegem os fios e cabos contra diversos tipos de danos, desde interferências externas até o desgaste natural. A escolha do material, o dimensionamento adequado e a instalação correta são essenciais para maximizar a eficácia dos conduítes.

Também é de extrema importância seguir os padrões técnicos, como os códigos MIL para conduítes de alumínio e bronze, para garantir que o sistema atenda às normas de segurança.

Manutenção e inspeções regulares são cruciais para garantir que o sistema continue funcionando de maneira otimizada, minimizando assim os riscos e prolongando a vida útil dos cabos elétricos.

Além dos aspectos técnicos, pequenos truques, como o uso de fita adesiva ao cortar o tubo flexível ou o emprego de talco para facilitar a instalação dos fios, podem fazer uma grande diferença na prática.

Estes detalhes não apenas facilitam o trabalho de instalação, mas também são sugeridos para uma maior longevidade do sistema como um todo.

Ao entender as nuances envolvidas no uso de conduítes elétricos, profissionais e entusiastas podem tomar decisões mais informadas, garantindo assim um sistema elétrico mais seguro, eficiente e elétrico.

115 Questões AERODINÂMICA ANAC Grátis!

Banca Mecânico de aeronaves!

Banca Mecânico de aeronaves!

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 − um =