fbpx
Print Friendly, PDF & Email

Presença de água nos combustíveis aeronáuticos

Todos os combustíveis à base de hidrocarbonetos contêm alguma quantidade de água suspensa e dissolvida.

A quantidade de água contida no combustível depende da temperatura e do tipo de combustível.

O combustível Jet possui, com seu maior conteúdo aromático, tendência a absorver mais água que a gasolina de aviação, favorecendo a corrosão Microbiológica em aeronaves.

Água em uma amostra de combustível

A água dissolvida é considerada o maior problema de contaminação do combustível.

Seus efeitos são maiores em aeronaves operadas em regiões úmidas e de clima quente.

Por um lado, a presença de água pode, dependendo da quantidade e das condições, ocasionar o congelamento do filtro.

Por outro lado, a água no combustível pode criar um ambiente favorável ao crescimento de uma “lama” microbiológica nas células de combustível.

Corrosão Microbiológica

É a corrosão causada pela atividade metabólica de vários microorganismos.

Há vários anos, a corrosão microbiológica no interior de tanques integrais de combustível vem sendo um problema constante para todos os operadores de aeronaves equipadas com motores a reação (a jato) ou turbo-hélice.

Tais microorganismos podem causar falha dos motores, devido ao entupimento dos filtros e panes nas bombas de combustível ou falhas estruturais, como consequência direta dessa corrosão.


Bactéria e Microrganismos

Os microrganismos vivem, em sua maioria, na interface do combustível e da água, encontrando ali um ambiente propício para o seu desenvolvimento.

Desenvolvimento de fungos no combustível

Os microrganismos podem se desenvolver na presença de oxigênio (aeróbios) ou na sua ausência (anaeróbios), alimentando-se basicamente de hidrocarbonetos do combustível, sais minerais, outras impurezas contidas na água e selantes dos tanques.

Mecanismos do ataque corrosivo

Numa síntese simplista, pode-se dizer que o metabolismo desses microorganismos, vivendo ou não na interface do combustível e água, elimina substâncias que formam uma camada lodosa, no fundo do tanque, provocando a sua corrosão.

Meios de contaminação dos tanques

Existe uma relação íntima entre presença de água no combustível e condições favoráveis para o desenvolvimento de colônias de microrganismos.

A água pode ser introduzida nos tanques por um dos seguintes meios:

  • Condensação da umidade do ar contido no interior dos tanques;
  • Decantação da água dissolvida no combustível;
  • Introdução direta de água pelo equipamento abastecedor, caso esse não seja adequadamente mantido e controlado;
  • Penetração de água de chuva pelo local de abastecimento, em caso de deterioração da vedação e, eventualmente, maus tratos à tampa, ou mesmo em abastecimentos efetuados em dias chuvosos.

PREVENÇÃO E CONTROLE DA CORROSÃO MICROBIOLÓGICA

Programa de controle e combate

A seguir, estão relacionados os modos de combate ou de minimização dos efeitos do crescimento de colônias de microrganismos no interior dos tanques.

Aplicação de biocida.

Drenagens

A eliminação de água no interior dos tanques é um dos pontos mais importantes do programa. O seguinte procedimento deve ser seguido:

  1. Drenar os tanques, pelo menos uma vez por dia;
  2. Observar as amostras colhidas e verificar a presença de água no fundo do recipiente;
  3. Verificar a presença de sujeira, sedimentos ou limo, principalmente na interface água-combustível;
  4. Se em qualquer das drenagens for notada a presença de sedimentos ou limo, submeter a amostra a uma análise da presença de microrganismos.
Dranando acumulo de água

Verificação da concentração de água

Estudos efetuados revelam que, em concentrações de água no combustível inferiores a 30 PPM, as possibilidades de proliferação de microrganismos são extremamente remotas.

Dessa forma, deve-se exigir das companhias abastecedoras que em todos os abastecimentos seja efetuado o teste de água do combustível.

Caso seja detectada a presença de água durante esse teste, recuse o combustível e solicite o abastecimento de outro caminhão ou de outra companhia.

Caso esse procedimento não seja possível, drenar os tanques após o abastecimento e comunicar à manutenção o fato.

Aplicação preventiva e sistemática de produtos biostáticos

Um produto biostático é o que inibe o desenvolvimento de colônias, ou seja, cria um ambiente desfavorável para o seu crescimento.

Na fase preventiva, recomenda-se o uso de produtos biostáticos (Prist, por exemplo) em vez dos biocidas (os quais têm finalidade específica de matar os microrganismos, atacando as colônias e tornando o tanque estéril).

Esses produtos são, em geral, anti congelantes; mas, nas proporções utilizadas, apresentam propriedades de evitar ou impedir o desenvolvimento de colônias de microrganismos.

Caso venha a ser detectada a presença de microrganismos, há necessidade da aplicação suplementar dos produtos biostáticos ou de produtos especificamente biocidas.

Análise periódica da presença de microrganismos

Verificação do combustível

As amostras devem ser imediatamente submetidas a uma cultura de microrganismos quando:

  • Durante a fase de drenagem, for notada a presença de sedimentos ou limo;
  • Durante a fase de verificação da concentração de água no combustível, forem notadas concentrações superiores a 30 ppm;
  • Independente das situações acima, a cada 150 horas ou 3 meses.

Aplicação corretiva de biocidas

Esta etapa do programa prevê a aplicação de aditivos capazes de deter o crescimento das colônias e também fazê-las regredir, matando os microrganismos e tornando o tanque novamente estéril.

Biocida Kathon FP1.5

Alguns cuidados se fazem necessários, durante o tratamento com esse produto, sendo o principal a inspeção dos filtros.

Os microrganismos, suas secreções e limo serão decantados e sedimentados com o tratamento, podendo obstruir os filtros de combustível.

Produtos recomendados

  • ANTI CONGELANTE: MIL-I-85470 (HI-FLO PRIST)
  • Biocida Kathon FP1.5
  • Fabricante: Hoffman-Taff, Inc
  • O. Box 1246
  • Springfield, MO – 65805
  • USA
  • BIOCIDA: BIOBOR JF
  • Fabricante: US Borax and Chemical Corp
  • O. Box 2781
  • Terminal Annex
  • 3075 Wilshire Blvd.
  • Los Angeles, CA – 90010
  • USA
  • DETECTOR MICROBIOLÓGICO: HUM BUG DETECTOR KIT
  • Fabricante: Hammonds Technical Services, Inc
  • 15760 West Hardy Road, Suite 400
  • Houston, TX – 77060
  • USA

MATERIAL DE APOIO

Baixar post em PDF

Manual FAA Corrosão e controle (Traduzido)

Exercícios corrosão em aeronaves

115 Questões AERODINÂMICA ANAC Grátis!

Banca Mecânico de aeronaves!

Banca Mecânico de aeronaves!

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × 4 =